domingo, 20 de junho de 2010

Clarice Lispector - Frases


-"Liberdade é pouco. O que eu quero ainda não tem nome."

-"Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é possível fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada."

-"O que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesmo."

-"Fique de vez em quando só, senão será submergido. Até o amor excessivo pode submergir uma pessoa."

-"Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada."

-"Minha liberdade é escrever. A palavra é o meu domínio sobre o mundo."

-"Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada... Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro."

-"Eu só escrevo quando eu quero, eu sou uma amadora e faço questão de continuar a ser amadora. Profissional é aquele que tem uma obrigação consigo mesmo de escrever, ou então em relação ao outro. Agora, eu faço questão de não ser profissional, para manter minha liberdade."

-"Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor.Que tem que ser vivido até a última gota.Sem nenhum medo. Não mata."

-"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."

-"Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro."

-"Brasília…Uma prisão ao ar livre."

-"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar."

-"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo."

-"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca."

-"Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós."

-"E se me achar esquisita, respeite também. Até eu fui obrigada a me respeitar."

-"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil."

-"Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito."

-"Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar."

-"Com todo perdão da palavra, eu sou um mistério para mim."

-"Porque há o direito ao grito. Então eu grito."

-"E nem entendo aquilo que entendo: pois estou infinitamente maior que eu mesma, e não me alcanço."

-"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós."

-"Perder-se também é caminho."

-"O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?"

-"Faça com que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como se estivesse pleno de tudo."

-"Já que se há de escrever, que pelo menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas."

-"Acho que devemos fazer coisa proibida – senão sufocamos.
Mas sem sentimento de culpa e sim como aviso de que somos livres."

-"Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca."

-"Minhas desequilibradas palavras são o luxo do meu silêncio"

-"Ter nascido me estragou a saúde."

-"O que me atormenta é que tudo é 'por enquanto', e nada é 'pra sempre'"

-"Mas quero ter a liberdade de dizer coisas sem nexo como profunda forma de te atingir. Só o errado me atrai, e amo o pecado, a flor do pecado."

-"Às vezes me dá enjôo de gente. Depois passa e fico de novo toda curiosa e atenta. E é só."

-"Não se conta tudo porque o tudo é um oco nada."

-"Eu sou mais forte do que eu."

-"Me deram um nome e me alienaram de mim."

-"Sempre conservei uma aspa à esquerda e à direita de mim."

-"Onde aprender a odiar para não morrer de amor?"

-"Amor será dar de presente ao outro a própria solidão? Pois é a última coisa que se pode dar de si."

-"Simplesmente eu sou eu. E você é você. É vasto, vai durar.
Por enquanto tu olhas para mim e me amas. Não: tu olhas para ti e te amas. É o que está certo."

-"Quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação."

-"Fico às vezes reduzida ao essencial, quer dizer, só meu coração bate."

-"O que me mata é o cotidiano. Eu queria só exceções."

-"Queria saber: depois que se é feliz o que acontece? O que vem depois?"

-"Mas lembrar-se com saudade é como se despedir de novo."

-"Inútil querer me classificar,eu simplesmente escapulo não deixando. Gênero não me pega mais."

-"Não se pode andar nú nem de corpo nem de espírito."

-"Se tenho que ser um objeto, que seja um objeto que grita."

-"A loucura é vizinha da mais cruel sensatez. Engulo a loucura porque ela me alucina calmamente."

-"Falar a verdade, nunca estive tão bem. Por quê? Não quero saber por quê."

-"Por que é que o cão é tão livre? Porque ele é o mistério vivo que não se indaga."

6 comentários:

  1. grande Mulher genial!

    Abraços de resistência Mujer/ TPMFEMME

    ResponderExcluir
  2. Amo de paixão tudo que essa escritora "escreve"

    ResponderExcluir
  3. Amo de paixão tudo que essa escritora "escreve"

    ResponderExcluir
  4. É ler e saber como Clarice se tornou eterna

    ResponderExcluir