terça-feira, 14 de setembro de 2010

Brinquedinhos da Vida

Já se perguntou por que as meninas gostam tanto de rosa e os meninos são tão "durões"?
Ou por que as meninas brincam com bebês da Estrela enquanto os meninos com carrinhos da Hot Wheels?
Por que meninas ganham mini-pias de lavar louça, forninhos de brinquedo no Natal, enquanto os meninos ganham bolas, video-games?
Simples: Porque os pais deram a eles.

"Mas porque a criança pediu."

Pediu porque você fez a a menina acreditar que ela é sensível, vulnerável, o mais delicado dos seres. Pediu porque ela vê a mãe (nunca o pai) lavando louça, cozinhando, cuidando do irmãozinho mais novo, e como ela é do mesmo sexo, ela acha que nasceu para fazer aquilo também. Então ela quer "brincar" de fazer o que a mãe faz. E ela gosta tanto de rosa porque desde que nasceu, a mãe só enche ela de coisa rosa, como se outra cor fosse proibida para ela, ou se ela ficasse bonita só de rosa. Pelo menos 1 acessório tem que ser dessa cor.

No caso dos meninos, eles são criados para serem os machões, os guardiões, os que estão à frente da família governando-a. Eles ganham carrinhos - porque um dia eles vão dirigir. Eles nunca ganham bebês da Estrela, como se eles não fossem ter filhos também - A diferença é que quem vai cuidar vai ser a mãe. Eles são ensinados que homens não choram - como se também não tivessem sentimentos. Os meninos (garotinhos) odeiam rosa porque eles só vêem as meninas usando. E eles não querem parecer meninas, de jeito nenhum. Os pais ensinaram que existem muitas diferenças entre os dois.

O maior medo dos pais quanto a isto, é que tratando os filhos com igualdade, eles acham que estes virarão homossexuais, ou terão mais tendência quanto a isto. É aí que eles se enganam. Não é só porque está tratando com igualdade que a menina será lésbica e o menino homossexual. Porque se é para eles serem gays, eles serão de qualquer jeito: tratando com diferença ou não. Mas para um mundo mais igualitário, começa-se na educação dos filhos.

Se um garotinho chega em casa falando que arrumou uma "namoradinha", é a maior festa na casa e no quarteirão.


"Meu filho é o maior garanhão"


Se uma garotinha chega falando que tem um "namoradinho" na escola, surge a preocupação.


"Namoradinho?! Com essa idade? Não pode! Que maldição"


Humm... Com o guri tudo bem, né. Porque quanto mais ele pegar, mais ele é o fodão. 
Com a guria, quanto mais ela pegar, mais ela é um corrimão.


O machismo está na criação.

Um exemplo: Há um tempo, surgiu a moda de meninos usarem camisetas rosas. Começou com rosa claro, hoje tem até rosa Shocking. Mas enfim, eu já vi vários garotinhos (crianças) usando. Ou seja, não é porque eles nasceram odiando rosa. É só porque eles não querem parecer com meninas. Mas como eles viram que outros garotos estavam usando, e que se ele usar não vai ser chamado de viado, ele usa numa boa. E até se acha.

"O que você quer que eu faça então? Que eu dê bonequinhas pro meu filho?"

Não necessariamente. Você só não precisaria separar tantos os sexos. Fazer seu filho pensar com tanta certeza de que mulher é assim e homem é assado. Mulher tem que ser frágil, delicada e os homens durões, desleixados.

Ser feminina não necessariamente quer dizer que você é o ser mais delicado do Reino das Fadas. Significa que você é mulher, e gosta de se sentir bonita, se sentir bem com você mesma, que ama ser mulher.

Ser masculino não significa que você tem que ser o mais bruto dos ogros do Reino do Shrek. Significa que você é homem, decidido em sua sexualidade, que gosta de ser homem.

Não estou dizendo também que não existe diferença nenhuma entre homem e mulher. Mas que elas são mínimas, e não influenciam na sociedade machista em que vivemos, quero dizer, não são diferenças tão afluentes. Nada que não permita que uma mulher ocupe um cargo importante. Nada que não permita que ela ganhe o mesmo que um homem - realizando as mesmas funções - porque essas diferenças não são de capacidade de trabalho, ou de mais burro ou menos burro. São diferenças natuais, sobrevivenciais.


- Heloísa Vasconcelos


Le feminisme ou la mort !

2 comentários:

  1. As meninas que brinquem de casinha, os homens que brinquem de herois. Quando eles crescerem a brincadeira só vai se torna mais séria, é o condicionamento imposto a nós, por eles, pelos interesses deles, A sociedade Patriacal.

    ResponderExcluir
  2. "As meninas que brinquem de casinha, os homens que brinquem de heróis"

    Nessa simples frase já vi que a idéia está formada e nem percebemos. Fica tão fundo na nossa mente que não notamos que pensamos assim.

    Você disse "meninas" para elas
    E "homens" para eles, sendo que estava falando da mesma faixa etária.
    Ou seja, o garoto já nasce com essa pressão de ser um homem de fato, e se "comportar" como um. É um adulto desde criança.
    Já as meninas, as pessoas superprotegem, fazem-na acreditar que ela é fraca (física e emocionalmente). E por ter plena certeza disso, ela acaba tornando-se nisso.

    ResponderExcluir