sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Homofobia e a natureza humana

Homo=igual
Fobia=medo










A homofobia não necessariamente seria medo dos homossexuais. Mas sim o ódio e a hostilidade contra eles. Alguns dizem que na verdade eles têm medo deles próprios serem homosexuais. Daí surge a averssão contra os que se assumem.

Recentemente, surgiu um termo para descrever uma atitude mental que primeiro categoriza para depois injustamente etiquetar como inferior um conjunto de cidadãos, assim como fazem o racismo e o sexismo: este é o heterossexismo. O heterossexismo está institucionado em nossas leis, órgãos de comunidade social, religiões e etc. Nesta tentativa de impor a heterossexualidade como superior ou como única forma de sexualidade, estão violando os direitos humanos.

Os seres humanos vivem dizendo que algo é "natural". Por exemplo: O homem foi feito para ter relações com mulheres e vice-versa. E quando eles dizem isso, eles automaticamente opõem-se a um comportamento "adquirido", tendo repulsa a estes e ensinando a todos que é "anormal". Mas veja bem, quem somos nós, reles seres humanos, para dizer o que é normal ou natural ou não?

Outra coisa que nós, seres humanos, vivemos dizendo, é que nós "começamos" muitas coisas nesse mundo. Por exemplo: Que a homossexualidade fomos nós que inventamos. Deste modo, argumenta-se que a "mãe natureza" criou-nos para sermos heterossexuais, mas que o ser humano, muito perverso, vai contra isso. Mas não, não fomos nós que criamos. Existem cães gays. E se existem outros animais que podem ser gays, dos seres humanos, então é uma coisa da natureza. Logo, é sim algo "natural". E de escolha própria.

No passado, denominava-se a idéia de que os homens eram "naturalmente" melhores na ciência, no esporte e que eram líderes natos. Mas as mulheres desafiaram essa idéia e provaram, numa perspectiva totalmente diferente, que homens e mulheres são iguais. E então começou-se a evidenciar que os homens são empurrados para posições de vantagem por uma sociedade que está estruturada para os beneficiar. Este processo mais tarde chamou-se sexismo.

Então, antes de encher o peito com seu orgulho hetero e dizer que a homossexualidade é uma pouca vergonha, lembre-se que a cada 4 minutos, uma mulher é agredida em seu próprio lar, por uma pessoa com quem mantém uma relação de afeto (marido, namorado, etc). Mas que afeto é esse que mata, que agride? Que heterossexualidade tão superior é essa? Ou lembre-se que em algum momento de suas vidas, metade das latino-americanas é vítima de alguma violência. Você não acha que isso sim é uma pouca vergonha?

Não sou contra nenhuma sexualidade. Acho que cada um escolhe o que é melhor para si. Mas eu não me conformo em ver essas estatísticas de violência, e saber que são entre homem e mulher. A maioria das pessoas escolhem ser heterossexuais muitas vezes por sua persuasão, coerção ou ameaça de hostilização da sociedade. Mas nesses casos, é preciso procurar alguém a quem realmente amamos. Não pelo seu sexo. Mas pelo modo com que nos trata.




Bruna de Souza Magalhães

Nenhum comentário:

Postar um comentário