domingo, 31 de outubro de 2010

Falando em revolução...

Dilma Rousseff

Primeira mulher presidenta do Brasil!

E eu contrubui para isso

E fiz toda a minha família contribuir também.

Orgulho para tod@s nós feministas!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Forme sua opnião:


























Engraçadinho, né?! Mas vamos pensar um pouco...
Achei esta tirinha um tanto quanto curiosa. Em todos os sites que eu vi, estava como "tirinha feminista". Mas de longe dá para ver que é sexista. Mas tem algo curioso nela. Ela é FEMISTA e MACHISTA, ao mesmo tempo! Porque enquanto tem um lado que insinua que seria perfeito um homem com um lado feminino, no caso o cérebro, por outro lado, enigmaticamente, insinua que quem "não tem cérebro" na verdade são as mulheres (ou, pelo menos, esta mulher da tirinha). Porque é ela, e não ele quem não sabe nem o que é um hermafrodita. Pelo menos, entre os dois personagens dalí, quem aparenta não ter cérebro é ela, em desconhecer uma simples informação que se aprende nas aulas de biologia da 1ª série (ensino médio). Nesta tirinha, o homem parece ser mais inteligente que ela. Taí a contradição.

sábado, 23 de outubro de 2010

Mulher Brasileira


























Ontem eu estava saindo de casa para levar meu irmão na escola, era 12:50 hrs. Quando eu sai na rua, vi uma mulher nova (devia ter uns vinte e poucos anos) com duas crianças pequenas, de no máximo 5 anos. Ela estava indo com as crianças em direção a um bar que fica quase do lado da minha casa. Quando ela chegou em frente, começou a gritar para um homem que estava lá dentro. Ela gritava coisas do tipo: "Seu traste! Você tem essa porra dessa moto, mas não presta nem pra levar seus filhos na creche!..." O que ele falava não dava para compreender, porque ele falava muito baixo. Mas imagino que nessa hora ele falou que deu dinheiro para ela ir levá-los. E ela retrucou: "Você só me deu 2 reais! Eu preciso ir e voltar, e você só me deu 2 reais! Eu vou voltar a pé por acaso?! Você só sabe gastar seu dinheiro no bar, com pinga!" Ele falou mais alguma coisa, e ela continou: "Você só sabe me bater!..." E essa foi a parte que mais me chamou a atenção, de todas as coisas inconformantes que eu ouvi naquela hora, porque além de tudo, ele ainda batia nela! Absurdo. Mas, depois que ela falou este último, eu virei a esquina e não ouvi mais nada.

Mas afinal, quem está errado? O homem por ser um traste imprestável e vagabundo (e isso é fato). Ou a mulher, por ter escolhido este traste imprestável e vagabundo para ter filhos?

Me admirou a mulher ser tão nova. E já com essa perspectiva de vida. Já com um marido desse. Não que chegue uma hora na vida que uma mulher tem que ter um cara assim. Mas ela tem opção (todas temos, mas no caso dela é bem mais fácil) porque tem uma vida toda pela frente. É bonita, enfim... Quando vejo uma pessoa assim, eu logo sinto que ela não está vivendo, está sobrevivendo. Só seu coração bate. Felicidade? Não sabe o que é. Ou não encontra com ela há muito tempo, que nem se lembra do gosto. Mas também admirei com a coragem dela de gritar no meio da rua o que a estava incomodando, o que ela achava (com razão) que não estava certo.

Hoje eu penso que a culpa não é de nenhum dos dois. A culpa é do conformismo e da má educação que ambos receberam. Se a moça tivesse aprendido a ser independente, ela não arrumaria qualquer traste para sustentá-la e maltratá-la. Ela buscaria a auto-sustentabilidade, casaria por amor, e só teria filhos quando estivesse madura o suficiente e achasse que realmente chegara a hora. E se o "traste imprestável" tivesse recebido uma boa educação, de respeitar as mulheres, no geral o ser humano... Aprendido a ser independente também (porque quando alguns homens casam, as esposas tornam-se suas mães). Aprendido que ficar de bar em bar, enchendo a cara de cachaça não leva a nada... Talvez essa história teria sido bem diferente. E aquela mulher não teria precisado gritar aquilo tudo. Mas infelizmente, essa mulher existe (assim como outras milhões neste país) e ela continua lá, em sua casa, sendo maltratada e humilhada.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Aquela Garotinha

Não sou mais aquela criança
Aquela menininha toda carente
Que fazia a opnião baseada
no que ouvia dos parentes.
Pais, irmãos, tios e primas:
Faziam as idéias na minha mente.

Mas agora eu cresci
Eu sei o que devo fazer
E o que devo falar

Eu sei que nem sempre deve-se ter educação,
como papai e mamãe sempre ensinaram
Eu sei quando devo ter e quando não.
Eu sei que não preciso ser normal, se eu não quiser
(pra mim seria uma tortura)
Porque ser normal é normal, mas às vezes
pode ser loucura.

Eu sei que tenho minhas escolhas,
e que dessas virão as consequencias.
E que nessas horas estarei sozinha,
porque eu que escolho minha sentença.

Eu sei que agora eu não dependo mais deles.
Eu faço meu próprio caminho
Não sou mais aquela garotinha
Que pelos cantos chorava baixinho

Agora tirando as idéias do próprio senso crítico
Sou realista, e do futuro eu tenho visão.
Mas sem desacreditar no mundo mítico
Sempre pra frente, influenciando, fazendo revolução!



Bruna de Souza magalhães

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Homofobia e a natureza humana

Homo=igual
Fobia=medo










A homofobia não necessariamente seria medo dos homossexuais. Mas sim o ódio e a hostilidade contra eles. Alguns dizem que na verdade eles têm medo deles próprios serem homosexuais. Daí surge a averssão contra os que se assumem.

Recentemente, surgiu um termo para descrever uma atitude mental que primeiro categoriza para depois injustamente etiquetar como inferior um conjunto de cidadãos, assim como fazem o racismo e o sexismo: este é o heterossexismo. O heterossexismo está institucionado em nossas leis, órgãos de comunidade social, religiões e etc. Nesta tentativa de impor a heterossexualidade como superior ou como única forma de sexualidade, estão violando os direitos humanos.

Os seres humanos vivem dizendo que algo é "natural". Por exemplo: O homem foi feito para ter relações com mulheres e vice-versa. E quando eles dizem isso, eles automaticamente opõem-se a um comportamento "adquirido", tendo repulsa a estes e ensinando a todos que é "anormal". Mas veja bem, quem somos nós, reles seres humanos, para dizer o que é normal ou natural ou não?

Outra coisa que nós, seres humanos, vivemos dizendo, é que nós "começamos" muitas coisas nesse mundo. Por exemplo: Que a homossexualidade fomos nós que inventamos. Deste modo, argumenta-se que a "mãe natureza" criou-nos para sermos heterossexuais, mas que o ser humano, muito perverso, vai contra isso. Mas não, não fomos nós que criamos. Existem cães gays. E se existem outros animais que podem ser gays, dos seres humanos, então é uma coisa da natureza. Logo, é sim algo "natural". E de escolha própria.

No passado, denominava-se a idéia de que os homens eram "naturalmente" melhores na ciência, no esporte e que eram líderes natos. Mas as mulheres desafiaram essa idéia e provaram, numa perspectiva totalmente diferente, que homens e mulheres são iguais. E então começou-se a evidenciar que os homens são empurrados para posições de vantagem por uma sociedade que está estruturada para os beneficiar. Este processo mais tarde chamou-se sexismo.

Então, antes de encher o peito com seu orgulho hetero e dizer que a homossexualidade é uma pouca vergonha, lembre-se que a cada 4 minutos, uma mulher é agredida em seu próprio lar, por uma pessoa com quem mantém uma relação de afeto (marido, namorado, etc). Mas que afeto é esse que mata, que agride? Que heterossexualidade tão superior é essa? Ou lembre-se que em algum momento de suas vidas, metade das latino-americanas é vítima de alguma violência. Você não acha que isso sim é uma pouca vergonha?

Não sou contra nenhuma sexualidade. Acho que cada um escolhe o que é melhor para si. Mas eu não me conformo em ver essas estatísticas de violência, e saber que são entre homem e mulher. A maioria das pessoas escolhem ser heterossexuais muitas vezes por sua persuasão, coerção ou ameaça de hostilização da sociedade. Mas nesses casos, é preciso procurar alguém a quem realmente amamos. Não pelo seu sexo. Mas pelo modo com que nos trata.




Bruna de Souza Magalhães

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Destruindo o invisível

O machismo. Invisível porque nós nos contradizemos o tempo todo. Mesmo as pessoas que se dizem feministas ou não. Porque tem algumas coisas que estão automáticas na nossa mente. Como por exemplo: Quando vês uma guria pegando geral, o pensamento automático é que a menina é uma vadia. Já se vissem um homem... O pensamento, por mais próximo que fosse da primeira situação, seria diferente. E é nessa diferença que erramos. Não pode haver diferença. Cortemos essa diferença. Pois ela é invisível, mas não imperceptível. Mas para percebermos, é preciso prestar bastante atenção.

O machismo está encrustado em todo lugar.
Está enrustido nas nossas palavras.
Está escondido no nosso cotidiano.



Como destruir algo que não vemos?



Preste atenção, pois ele está nas suas palavras e nas suas atitudes, sem que percebas.

Mobilize-se e junte-se a nós!



♀ REVOLUÇÃO FEMINISTA ♀

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Complicadas? Nós?

TIPOS DE HOMENS:
- Caras legais são feios
- Caras bonitos não são legais
- Caras bonitos e legais são gays
- Caras bonitos, legais e heteros, são casados
- Caras não tão bonitos mas legais não tem dinheiro
- Caras não tão bonitos mas legais e com dinheiro, acham que só estamos atras do dinheiro.
- Caras bonitos e sem dinheiro estão de olho no nosso dinheiro. - Caras bonitos, não tão legais e razoavelmente heteros não acham que somos bonitas o bastante
- Caras que nos acham bonitas, que são razoavelmente legais e que tem dinheiro são uns galinhas.
- Caras que são razoavelmente bonitos, razoavelmente legais e que tem algum dinheiro são tímidos e não tomam iniciativa
- Caras que nunca tomam a iniciativa perdem automaticamente o interesse quando nós tomamos.
- Caras que sempre tomam a iniciativa, nos matam de medo
- Caras que tomam a iniciativa e recebem um sim nos chamam de galinhas
- Caras que tomam a iniciativa, recebem um não desistem e vão tomar a iniciativa em outro lugar e falam ainda que fazemos doce
- Caras que tomam a iniciativa, recebem um talvez, entendem como sim e nos chamam de galinhas do mesmo jeito.
- Caras que recebem um sim e não nos chamam de galinha, tem uma mãe de amargar
- Caras que escondem que são casados tem muito pouco tempo disponível.
- Caras que escondem que são gays usam nossas roupas
- Caras que não costumam esconder nada, são razoavelmente legais, razoavelmente heteros e tem algum dinheiro perdem o mistério, sei lá.... A magia desaparece. Perde a graça.


*******************************************

Piadinha Femista.
Quando Deus criou Adão e Eva, disse aos dois:


Tenho dois presentes para distribuir entre vocês: um é para fazer xixi em pé e... Adão, ansiosíssimo, interrompeu, gritando:


- Eu! Eu! Eu! Eu! Eu quero, por favor... Senhor, por favor, por favor, Sim? Me facilitaria a vida substancialmente! Por favor! Por favor! Por Favor!


Eva concordou e disse que essas coisas não tinham importância para ela. Então, Deus presenteou Adão. Adão ficou maravilhado. Gritava de alegria, corria pelo jardim do Éden fazendo xixi em todas as árvores. Correu pela praia fazendo desenhos com seu xixi na areia. Brincava de chafariz. Acendia uma fogueirinha e brincava de bombeiro...


Deus e Eva contemplavam o homem louco de felicidade, até que Eva perguntou a Deus:- E... Qual é o outro presente? Deus respondeu:


- Cérebro, Eva, cérebro.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Conto de Fadas da mulher do século XXI

Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa, independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, deparou-se com uma rã. Então, a rã pulou para o seu colo e disse: "Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Mas, uma bruxa má lançou-me um encanto e transformei-me nesta rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir um lar feliz no teu lindo castelo.
A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre..."


E então, naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã à sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava: "Nem fo...den...do!".



(Luís Fernando Veríssimo)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O sangue derramado

Quando é de uma mulher maltratada....
...A ferida é de todos



♀ REVOLUÇÃO FEMINISTA ♀

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Como funciona:



Pare com o preconceito e a inferiorização da mulher!


♀ REVOLUÇÃO FEMINISTA ♀

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Não se deixe enganar!



Enquanto você o ama... Ele retribui ou age como se fosse teu amo?

Liberte-se e junte-se a nós.


♀ REVOLUÇÃO FEMINISTA ♀

domingo, 3 de outubro de 2010

Um grande dia!

Hoje é dia 03 de outubro de 2010. Dia de votação! Hoje é o 1° turno das eleições para os cargos de deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente. Este ano, todos podem votar, exceto pessoas abaixo de 16 anos. Até os presidiários terão direito de voto.

Isso me lembrou que há 79 anos, foi criado um novo Código Eleitoral, no qual algumas mulheres podiam votar (as solteiras ou viúvas que comprovassem renda própria; ou as casadas, mas somente com a permissão do marido). Mas nós não nos contentamos, e com a pressão feminista quanto às restrições, o governo de Getúlio Vargas ampliou o direito ao voto a todas as mulheres: em 24 de fevereiro de 1932 foi promulgado o Código Eleitoral que igualava a mulher aos homens quanto ao voto: o eleitor era descrito no código como "o cidadão maior de 21 anos, sem distinção de sexo...".



Tenho orgulho de viver em uma época em que mulheres e homens são iguais perante a lei. Orgulho da Revolução que minhas antecessoras impuseram. Que muitas outras revoluções sejam feitas! Então, você que está lendo isso, ide à sua zona eleitoral e faça com orgulho o uso do seu direito como cidadão e cidadã! Direito este que lhe foi concebido com muita luta. Usai de tua cidadania, de tua democracia. Lembra-te que há pouco mais de 79 anos, vois não tinhas este direito.Votemos pensando no futuro. Votemos com sabedoria. O poder está em nossas mãos.






 - Heloísa Vasconcelos

sábado, 2 de outubro de 2010

Violência Doméstica


Não se engane. Ele não te quer.
Liberte-se e junte-se a nós.


♀ REVOLUÇÃO FEMINISTA ♀

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Ofuscada nas sombras da História

Estudiosos afirmam que obras de William Shakespeare podem ter sido escritas por uma mulher. Isso mesmo, a autora judia Amelia Bassano Lanier escreveu e não recebeu mérito algum. Os estudiosos querem tirar esta mulher genial - E como ela, mais haverão com certeza!- das sombras da história da literatura. Justiça seja feita!


Leia esta coluna do Jornal Público, de Portugal:


Mulher judia pode ter escrito obra de William Shakespeare

Um estudioso da obra de William Shakespeare defende que quem escreveu a obra do dramaturgo britânico foi uma mulher judia chamada Amelia Bassano Lanier, escreveu ontem o diário israelita Haaretz. E embora John Hudson não seja o primeiro a questionar se o autor realmente escreveu toda a obra que se conhece até hoje, é o único a sugerir que Lanier foi quem escreveu as inúmeras peças e sonetos de Shakespeare.
Lanier era de origem italiana e até hoje era conhecida por ter sido a primeira mulher a publicar um livro de poemas, o Salve Deus Rex Judaeorum em 1611. Hudson baseia a sua teoria no estudo da vida de Lanier, que, defende, coincide muito melhor do que a vida de Shakespeare nos conteúdos da obra "shakespeariana".
O estudioso britânico, formado em Sociologia e Antropologia, identificou semelhanças técnicas entre a linguagem usada nos poemas conhecidos de Lanier e a usada nos versos de Shakespeare. Encontrou pistas nos textos - alegorias judias e as muitas vezes que os heterónimos de Lanier aparecem nas peças - e concluiu que só deve ter sido esta mulher a escrever a obra da Shakespeare.





- Heloísa Vasconcelos.