terça-feira, 19 de abril de 2011

Geraldine Doyle



Olá, tudo bom com você? Espero que sim. Estou ótima, obrigada.

Hoje minha pergunta principal é: Você conhece esta pessoa? Este rosto lhe é familiar?
Você com certeza já viu, só não associou... Quando eu descobri quem realmente era, eu tive uma surpresa muito grande. Por que não fazia idéia de que este ícone foi realmente representado por uma pessoa de verdade, e não era um simples desenho. E também como feminista que sou, fiquei com os olhinhos brilhando ao saber quem era/foi.


Pra quem já sabe, muito bem. Pra quem ainda não desvendou, aqui vão algumas dicas: 



Dica 1: Rosie The Riveter é um ícone cultural dos EUA, representando a mulher que trabalhava nas indústrias durante a Segunda Guerra Mundial, muitas delas tendo produzido armas e suprimentos de guerra.Essas mulheres às vezes tomaram inteiramente novos postos de trabalho substituindo os trabalhadores do sexo masculino que estavam no serviço militar. A personagem é irrefutavelmente considerada um ícone feminista no mundo inteiro.
Dica 2: Geraldine Hoff Doyle (Inkster, 31 de julho de 1924 - Lansing, 26 de dezembro de 2010) foi uma modelo estadunidense, ícone da mulher trabalhadora durante a Segunda Guerra Mundial.
Geraldine ficou famosa ao mundo, quando foi utilizada como modelo para o cartaz que chamava as mulheres americanas ao trabalho enquanto a força operária do país estava em combate, durante a conflito que ficou conhecido como a Segunda Guerra Mundial.
Faleceu, aos 86 anos de idade. Em dezembro de 2010.

E aí! Agora já sabe? Bom, então agora você vai saber. Olha esse cartaz que está logo abaixo da Geraldine Doyle velhinha!
Siiiim !!! É ela mesma. Você, como eu, provavelmente sempre achou que esse cartaz era somente desenhado. Mas teve uma pessoa que "inspirou" esse cartaz.E foi uma operária. Operária de verdade, real ! E o nome dela era Geraldine Doyle!
Menos conhecido e vangloriado, o cartaz abaixo também teve como inspiração Geraldine Doyle!

Veja algumas fotos de "Geraldines" da vida real:


WE CAN FUCKIN' DO IT ! YEAH !





3 comentários:

  1. Dizem que a vida imita a arte...
    Bobagem, a arte que reflete a vida
    Porém reflete mais franca, direta, bonita.
    Diria que esta mulher é espartana, se não visse o estandarte angloamericano por detras deste signo tão representativo.

    ResponderExcluir
  2. U-hummmm.... o cartaz foi elaborado para incentivar as mulheres a começarem a trabalhar nas fábricas, para tentar substituir a mão de obra masculina americana, já que os privilegiados homens da época estavam muito ocupados se divertindo a morrer na segunda guerra mundial. Geraldine trabalhou por somente cerca de 10 a 15 dias, o tempo necessário para obter a foto que mais tarde se tornou tão idolatrada. Ela alegou que o trabalho na fabrica era muito pesado e perigoso, e que em vez de trabalhar em fábricas, preferia ir tocar seu violoncelo.

    E olha o papo desse Evandro aí acima, mulher espartana.... pow cara, assista o filme 300 e veja do que foi capaz a mulher do personagem principal do filme, deu para o pior inimigo político do cara. Na boa, mulher espartana não parece uma boa referência, ainda mais que sua fama consiste em conseguir manipular a sociedade de sua época através de chantagem e dominação sexual, o filme retrata bem essa qualidade da mulher espartana.

    ResponderExcluir
  3. Logo depois de sair do trabalho como prensadora de metal, trabalho este que durou 2 semanas apenas, Geraldine Hoff conheceu e casou-se com o dentista Leo Doyle em 1943. O casal teve seis filhos e permaneceram casados até sua morte em fevereiro de 2010.

    ResponderExcluir