terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Das vantagens de ser bobo - Clarice Lispector

O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar o mundo. O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: "Estou fazendo. Estou pensando." 

Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia. 

O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas. O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. O bobo nunca parece ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski. 

Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era de que o aparelho estava tão estragado que o conserto seria caríssimo: mais valia comprar outro. Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu. 

Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: "Até tu, Brutus?" 

Bobo não reclama. Em compensação, como exclama! 

Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz. 

O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos. Ser bobo é uma criatividade e, como toda criação, é difícil. Por isso é que os espertos não conseguem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás não se importam que saibam que eles sabem. 

Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas! 

Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas. É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.




Clarice Lispector

Ou ouçam: http://www.youtube.com/watch?v=jxBm2P0AxnY

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Acima de tudo.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Polindo idéias

Há quem diga que feminismo é ruim porque faz as mulheres serem mais "independentes" e sendo mais independentes, não querem mais casar, ter filhos, cuidar da casa, etc... E assim seria a "perdição" da humanidade.

Não precisa nem dizer que essa idéia é totalmente sem noção, né?

As pessoas preferem ver mulheres repreendidas em um lar, sem voz ativa, muitas morrendo de depressão por não poderem mudar de vida e/ou fazerem o que realmente sonharam para ela.

Mulher não é um animal doméstico, que se o dono quiser, pode trancafiar dentro de casa (nem um animal doméstico merece uma vida assim). É um ser que precisa ser livre, precisa ter o direito de escolha. E não sofrer represálias ou rejeições da sociedade só por não ter medo de mostrar para o mundo inteiro que não está nem aí para os padrões de "boa moça" que nos é imposto todos os dias de nossas vidas, sem excessão.

Padrões estes que vêm desde o berço. Desde os brinquedos de infância, desde a separação dos sexos na infância, desde o "mais forte / menos forte", desde a superproteção das "bonequinhas" de porcelana...
Desde o "Não chore pois homens não choram"...

Enfim, uma série de coisas, fatos e frases, que todo mundo já ouviu e isso de alguma forma interferiu seu modo de pensar.

Porém, temos que ter a atitude e a independência de pensar por nós mesmos. Aprender com os pais é bom, é ótimo e necessário. Mas eles não são perfeitos, e nem sempre estão certos. Tem coisas que eles aprenderam que estão erradas, e eles nos ensinam achando que o único jeito de se viver (ou o jeito mais certo)
Cabe a nós pegar como lição o que realmente precisamos, e tentar reformular alguma idéia que não achamos muito certa.
Polir a idéia até ficar do jeito que você mais acha certo: não há nada de errado em fazer isso. Quando você pule uma idéia, você a deixa melhor, mais agradável, enfim, mais fina. Também não significa que será a verdade universal, mas provavelmente esta será a idéia que você ensinará para seus filhos, e talvez eles não achem correta e façam a mesma coisa com ela. Modificar e pensar de um jeito que eles realmente achem que é certo, que venha deles mesmos... E terás que aceitar isso.

Com relação ao pensamento de que com o feminismo as mulheres não querem saber de ter fillhos, família, etc... É um pensamento errado. Pois com o feminismo, a única diferença é que as mulheres casam sim, mas não por obrigação ou para os maridos as sustentarem. E sim porque realmente amam e que querem de fato ficar com a pessoa amada. Elas casam por amor.

Eu sou um exemplo claro disso. Sou feminista, e não vejo mal nenhum em querer casar com meu namorado, porque eu tenho minha independência, mas eu o amo, e quero viver com ele. Não vou ser submissa e nem vou querer mandar nele. Nós resolveremos as coisas juntos, pois a partir do momento em que decidimos ficar juntos, somos praticamente um só.

Sim, eu encontrei alguém que realmente mexeu com a minha estrutura e que me fez querer ter algo sério. Me fez sentir vontade até de ter filhos, e me fez esquecer o medo que eu tinha do "para sempre".
Para sempre é muito tempo, mas eu sei que vou querer passar com ele todo o tempo que eu tiver.


Monike A. Lopes